simposio: povos indigenas falantes de linguas guarani

Agradecemos a divulgação e esperamos vê-los!!!

SIMPÓSIO POVOS INDÍGENAS FALANTES DE LÍNGUAS GUARANI:

HISTÓRIA E ETNOGRAFIA CONTEMPORÂNEAS

O Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social (PPGAS), do Museu Nacional/UFRJ, convida para o

Simpósio Povos Indígenas Falantes de línguas Guarani: História e Etnografia Contemporâneas

que acontecerá no dia 08 de novembro de 2017, das 9h às 17h, na Sala Roberto Cardoso de Oliveira, no Museu Nacional.

O Simpósio, organizado pelo Laboratório de Pesquisas em Etnicidade, Cultura e Desenvolvimento do Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social do Museu Nacional (LACED/PPGAS/MN/UFRJ), pelo Programa de Pós-graduação em História da Universidade Federal da Grande Dourados (PPGH-UFGD) e pelo Centro de Investigaciones Historicas y Antropológicas (CIHA, Bolívia), tem como objetivo central refletir acerca da história e da etnografia contemporâneas dos povos indígenas falantes de línguas Guarani na Argentina, Bolívia, Brasil, Paraguai e Uruguai, recolocando, por um lado, a questão da diversidade étnica entre esses povos e, por outro, a construção pela antropologia moderna do Guarani como uma supra categoria étnica homogeneizante.

Simpósio

LACED – PPGAS / MN / UFRJ
PPGH / UF GD
CIHA

QUARTA FEIRA
8 de novembro 2017
9:00 às 17:00

Sala Roberto Cardoso de Oliveira
Museu Nacional
Quinta da Boa Vista
São Cristóvão, Rio de Janeiro

Povos indígenas
Falantes de línguas guarani:
história e etnografia contemporânea

9:00 Abertura

Pablo Barbosa (PPGAS-MN; FAPERJ; CIHA)
Graciela Chamorro (PPGH-UFGD; CIHA CNPq)
João Pacheco de Oliveira (PPGAS-MN)

9:30 Diego Villar (CONICET-UBA; CIHA)
La “civilización túpi-guaraní” según Alfred Métraux

10:20 Isabelle Combès (IFEA-CNRS; CIHA)
Historia del pérfido Cuñamboy

11:10 Pablo Barbosa (PPGAS-MN; FAPERJ; CIHA)
Fontes para a história dos povos de língua guarani do Mato Grosso do Sul e regiões adjacentes (s. XIX)

12:00 Almoco

13:30 María Eugenia Dominguez (PPGAS-UFSC)
Migrações, rito, história e “cultura” entre os Chané e Guarani do Chaco Ocidental

14:20 Rubem T. Almeida (GeoPovos, IM-UFRJ)
Variações contemporâneas guarani: um ensaio

15:10 Marci Fileti Matins (PROFLIND-MN-UFRJ)
O universo semântico da morte: o verbo manõ (“morrer”) como verbo “ativo” no Guarani Mbya

16:00 Graciela Chamorro (PPGH-UFGD; CIHA; CNPq)
Língua e cultura: diversidade cultural e histórica entre povos indígenas falantes de línguas guarani

 


Deja un comentario

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *